sexta-feira, 17 de abril de 2009

Herança Genética

"E a terra se calou.
Os sorrisos se fecharam, e os olhos não brilharam mais.
Não havia mais graça diante daquelas mãos que demonstravam serem mágicas e em poucos segundos se tornaram normais.
Aqueles homens, meros mortais."
(Vanessa Saldanha).
_Fugindo de novo?(irrompe do silêncio uma voz.)
_Não.(diz Bruno)
_Não oque está parecendo!
Bruno abaixa a cabeça e esboça um leve sorriso.
_Ande deixe de besteiras meu amigo!(diz Lira)
_Não posso voltar, não consigo mais.
_Todo mundo tem seus dias ruins meu amigo.
_voce sabe bem que não é só isso!
_Sei!sei sim!mas voce sempre conseguiu superar isso antes.Não sei coo conseguiu mas sempre conseguiu.
_Não é tao fácil assim!Não o quanto você faz parecer quando fala.
_ Nunca foi meu amigo! Mas me diga porque veio para cá?
_Sempre foi meu lugar preferido. Lembra-se, que sempre vinhamos aqui depois dos plantões no início de nossas carreiras?
_Sim , claro!lembro- me muito bem do jovem cirurgião metido a rebelde,extremamente arrogante e prepotente de vinte e cinco anos atrás.
Bruno sorri, dessa vez um sorriso mais sincero e diz:_cometi um erro minha amiga. À vinte e cinco anos atras eu deveria ter assumido estar doente e não me omitido;agora não posso mais operar.
_Eu sempre lhe falei isso!
_Sim,eu me lembro!
_Contudo, ao longo desses vinte e cinco anos vi você se superar, superar suas limitações e se tornar cada vez melhor.E por isso sei vai conseguir de novo!
_ Não dá mais Lira!A doença agravou muito!Não consgio mais manter minhas mãos firmes.
_Elas nunca foram muito firmes, e mesmo assim sempre operaram milagres.
Ambos sorriem
_Nunca fiz milagres.
_Ah, fez sim!Não se lembra daquela vez em que estavamos todos perdidos sme saber oque fazer, o paciente sangrava para todos os lados, era a pior hemorragia interna que já havia visto e voce assumiu a situação, coordenou tudo e todos operou e salvou a vida daquele homem?
_Eu tremia mais doque vara verde por dentro.(risos)
_E um pouco por fora também!(risos)
_Mas era diferente naquela época por mais que soubesse ser impossível, achava que poderia controlar minha doença apenas como concentração.
_E durante todos esses anos voce consegiu o impossível!
_Nem sempre!Não se lembra quantas vezes pedi sua ajuda?
_E eu bancava a cirurgiã sem ser(risos)Mas no fundo só fazia porque confiava em voce, sabia que nunca iria deixar que fizesse besteira.
_E eu só podia pq confiava em voce.
_só voce para confiar numa enfermeira residente!(risos)
_E voce em um cirurgião residente!(risos)
_Voce era meu super-heroi naquela época.
_Eu percebia.
_Lembro-me de alimentar uma paixão platônica por ti!
_E eu por ti!
_Mas nunca dariamos certo!As garotas flertam com os bad boys , mas é com os bom moços que se casam
_E eu era bad boy?
_Muito! não se lembra?Foram os anos que te amaçaram meu amigo!
_E com isso você se casou com o Gustavo.
_Sim ,e tivemos a Flá.
_E como está a Flá?
_Está bem!Está na faculdade de medicina,quer cirurgiã como padrinho dela.
_O gustvao deve morrer de ciúmes!
_E como! Ela ama o pai, mas smepre admirou voce, desde o dia que te viu na rua socorrendo um acidentado. Sempre dizia quero ser igual ao meu padrinho!E com isso o Gustavo morria de ciúmes!
_Eu imagino!(risos)
Ambos param um pouco e ficam à observar a beleza do Rio de Janeiro pelo Mirante da Urca.
_Precisa voltar!(diz Lira)
_O Parkinson Avançou mutio minha amiga.
_Voce nunca sequer soube se era Parkinson!
_Tinha medo de me consultar e a noticia se espalhar, voce sabe como é nosso meio!E se isso acontecesse nunca mais conseguiria operar, afinal quem iria confiar em um cirurgião com Parkinson?
_Eu te entendo e sempre te entendi.E agora, vai parar?
_Sim, mas como não sobreviveria sem isso queria lhe pedir algo.
_Nem comece!Sabe que eu nunca faria isso!
_Voce é a única pessoa qa quem pediria
_Não posso! Voce está louco!
_Desculpe
_Tudo bem , eu te perdoo!Escute comece a se tratar e pareas cirurgias.porque não dá aulas?Voce sempre gostou de ensinar.Lembro-me de como voltava motivado depois de uma palestra.
_Não sei ,talvez quem sabe?Escute Lira tenho de ir!
_Para onde?
_Vou esparecer um pouco e depois vou para casa.Tchau!
_Tchau amigo!
Lira nunca mais viu o Bruno desde aquele dia, até que recebeu uma carta muitos anos depois, onde Bruno dizia-se estar na Africa e dizia estar operando.Ela então sorriu e pensou:"Ele conseguiu mais uma vez, se superou!
Contudo há algo que ninguém supera e é a morte.Bruno morreu aos oitenta anos de idade.Lira viveu até os noventa, mas dizem q ue instantes antes da sua morte Lira olhava para parede em branco e falava com alguem que não estava ali.Os médicos disseram que eram alucinações geradas pelas ultimas reações químicas do cérebro,porém quem estava presente no local não acreditava nisso e repetia suas últimas palavras:
_"Quantos anos, até que enfim!Senti tua falta velho amigo!

6 comentários:

Anônimo disse...

Bravo Didi! Bravo! Foi desta historia q eu nasci xD! Estou ansiosa p/ ler mais... uhuuu*

Vanessa Saldanha disse...

Bacana! Sabe, você poderia criar peças de teatro. Tive um colega que escrevia como você, e depois passou a escrever peças ainda mais incríveis do que as histórias que ele escrevia.
Parabéns =]

dilsinho disse...

Vanessa obrigado!
flá daqui a pouco escrevo uma série!rs!rs!rs!

Edilaine disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edilaine disse...

Nossa que texto lindo,
vc tem o dom p escrever...
q história!!!!

dilsinho disse...

mto obrigado Edilaine